3 comentários:
De ME a 3 de Novembro de 2010 às 16:23
É obvio que 2011 vai ser muito pior! e 2012 talvez ainda pior! Não são só os funcionários públicos a pagar a crise, todos pagam porque algumas das medidas se refletem na vida de todos os portugueses, como é o caso do aumento dos 2% do IVA.
A minha discordância total é os funcionários públicos verem os seus aumentos diminuidos quando n estado há pessoas que somam reformas + consultorias + ordenados por serem gestores ou ministro... etccc aqui sim, está um crime grave: reformados só deviam poder optar por 1 vencimento: ou a reforma ou o do trabalho. Para além disso qq que seja a instituição ligada ao estado, devia ser proibido auferir maiores rendimentos que o presidente da república. Esta pode ser uma visão antiquada, mas é a minha opinião. Olhem apenas o caso de SILVA LOPES, com 77 anos, ex-Administrador do Montepio Geral, de onde saiu há pouco tempo com uma indemnização de mais de 400.000 euros. A isto acrescem várias reformas que tem, uma das quais do Banco de Portugal como ex-governador. Logo que saiu do Montepio foi nomeado Administrador da EDP RENOVAVEIS, empresa do Grupo EDP. Isto admite-se??? Para que precisa um homem de 77 anos de tanto dinheiro? tantos jovens no desemprego e estes chulos a ganhar estas quantias??
Viva a greve, eu vou fazer! Os portugueses têm que mostrar que estão profundamente indignados.
Por isso,na minha humilde ignorância, preferia o FMI já, talvez daqui a 2 ou 3 anos tivéssemos reerguidos!!! Assim o país vai morrendo aos poucos... vai-se arrastando para a criminalidade, pobreza, etc etc
De Princesinha a 4 de Novembro de 2010 às 23:42
Sentir saudades não digo. Nada de especial aconteceu em 2010. São trafulhices e mais trafulhices, não deixam saudades a ninguém. Os socialistas doentes é que podem ter saudades de Hipócrates se o governo for para um sitio que sei mas que aqui não vou dizer o nome. Não ia manchar um blog que não é meu com palavrões. Além disso sou princesa, tenho que ter cuidado.
De tv a 25 de Novembro de 2010 às 01:14
Vi na televisão que a greve geral registou grande adesão, segundo os sindicatos. Já o Governo desvaloriza os números, situando a adesão nos 18%. Mais uma vez as conclusões divergem.

Comentar post