12 comentários:
De Princesinha a 22 de Setembro de 2010 às 02:02
Grave. Gravissimo. Os Messinenses afastam-se do marulhar das ondas e em breve deixarão de ouvir e ver o mar, por completo. Grave. Gravissimo.
De José Paulo de Sousa a 22 de Setembro de 2010 às 08:48
pois ver e ouvir o mar só pela televisão ou... se se cumprir a professia de 2012
até já!
De Princesinha a 22 de Setembro de 2010 às 11:39
Referia-me ao mar em sentido figurado. Á força do mar. Á força que messines está a perder. Não percam a força.
De Paula Bravo a 23 de Setembro de 2010 às 14:24
Este assunto não existe para a comunidade, porque a Escola já não existia para a comunidade, há vários anos.
Faz sentido, acho eu...
De José Paulo de Sousa a 23 de Setembro de 2010 às 14:31
pois se calhar tens razão...
mas a escola não existe sem as pessoas e porquê castigar a pobre escola ?
:)
De pittbull a 23 de Setembro de 2010 às 16:47
josé paulo, sem doutor como prefere, essa senhora paula bravo, que agora parece que não gosta nada da escola não foi professora da referida até que a direcção teve de prescindir dos serviços delas por umas cenas de diplomas ?
De José Paulo de Sousa a 24 de Setembro de 2010 às 09:00
caro pit bull se for a mesma paula bravo que eu conheço só tenho a dizer que foi prof da escola e enquanto lá esteve cumpriu e bem os seus deveres, não saiu por nada de menos correcto apenas numa determinada altura ao que me lembro a legislação foi mudada ou dada outra interpretação e a licenciatura que a paula bravo tinha deixou de ficar no primeiro escalão (não sei se é este o termo) e foi substituida, só isso!
De Paula Bravo a 24 de Setembro de 2010 às 14:37
ó pitbull. isto é perder tempo, a responder a este tipo de anónimos. ainda assim: sim, fui professora nessa escola e gostei. e sim, tenho uma licenciatura e diploma verdadeiro. e não, não fui despedida por nenhuma incompetência da minha parte. nem tão pouco fui despedida.
enfim... vai, lá procurar outras canelas para morderes...
De Princesinha a 24 de Setembro de 2010 às 15:20
A escola já não existe para a comunidade desde quando Paula? Desde q a Paula saiu? Ou desde que a direcção mudou?
De PINTO a 24 de Setembro de 2010 às 17:53
Eu diria que a escola nunca existiu para a comunidade!! Lamentavelmente, pois sou um defensor das escolas técnicas e embora não tenha sido aluno, sempre se formou ali bons técnicos. A realidade infelizmente separou a escola da população...
Serei só eu ou esta história da escola está muito mal contada?
De Paula Bravo a 24 de Setembro de 2010 às 19:39
Princesinha, já que me pergunta, eu respondo. Para mim, o definhar da escola começou ainda no "meu tempo" e da anterior direcção que fez o que estava ao seu alcance para atenuar esse problema. Daí a vinda dos alunos de cabo verde. Quanto à direcção que se seguiu, conheço as pessoas, penso que fizeram o que estava ao seu alcance para continuar com a escola e apresentar novos projectos. Mas de facto, a realidade esteve sempre contra esta escola, desde a sua criaçao em Messines que nunca foi bem vista por determinados sectores. E depois, começaram a proliferar os cursos profissionais, das EBs à Secundária de Silves, ao Instituto de Emprego, andam todos a dar os mesmos cursos. A partir dessa generalização, a escola de messines, passou a ser o elo mais fraco. E aí, concentrou-se ainda mais nos alunos de Cabo Verde e o resultado, queiramos ou não admitir, é que muitos dos potenciais alunos da freguesia simplesmente fugiram para outras escolas. É só ver a quantidade de alunos que a Escola Profissional de Alte vem buscar a Messines. Faltou depois a capacidade de contrariar essa tendência, ou a vontade, não sei.
de qualquer forma, desengane-se quem pense que me estou a rir com o que aconteceu. ninguém que seja normal fica contente quando uma parte da sua vida se afunda ingloriamente e eu passei muitos anos nessa escola, ao lado de pessoas que considerava amigas. talvez nalguns casos estivesse enganada, mas também não me arrependo de ter sentido esse sentimento.
De Princesinha a 27 de Setembro de 2010 às 03:32
Obrigado pela resposta, Paula. Desejo-lhe sucesso. Na verdade também não creio que as pessoas simplesmente tenham cruzado os braços. Há dificuldades em todas as áreas e não é fácil vingar. Talvez se pudessem esforçar mais, ou não, não sei.

Comentar post